private-rentenversicherungs.info

Blog da fotografia portuguesa interessada em viajar. Meu nome e Bruno e espero que voce goste do meu site

O LIVRO OS BRUZUNDANGAS BAIXAR


Os Bruzundangas. Autor: Afonso Henriques de Lima Barreto Listar as obras deste a página desta Instituição. Ano da Tese. Acessos: Baixar arquivo . "A Bruzundanga, diz um livro do grande sábio Volkate Ben Volkate, ofícios, estabelecer uma cozinha na sua secretaria e baixar uma. Publicidade. Os Bruzundangas. Autor: Afonso Henriques de Lima Barreto Categoria: Literatura private-rentenversicherungs.info Tamanho: ,96 KB. Ler Livro Online · Download.

Nome: o livro os bruzundangas
Formato:ZIP-Arquivar (Livro)
Sistemas operacionais: MacOS. Android. iOS. Windows XP/7/10.
Licença:Grátis (* Para uso pessoal)
Tamanho do arquivo:60.54 Megabytes

No trivia or quizzes yet. Return to Book Page. O escritor Lima Barreto produziu extensa obra marcada por uma constante crítica a tudo que lhe rodeava. Tendo convivido com alguns poetas samoiedas, pude estudar um tanto demoradamente os princípios teóricos dessa escola e julgo estar habilitado a lhes dar um resumo de suas regras poéticas e da sua estética. Successfully reported this slideshow. Sou ortopedista. Fiz-lhe todas as objeções: a minha fealdade, a falta de elegância, o meu aspecto tagalo.

"A Bruzundanga, diz um livro do grande sábio Volkate Ben Volkate, ofícios, estabelecer uma cozinha na sua secretaria e baixar uma. Publicidade. Os Bruzundangas. Autor: Afonso Henriques de Lima Barreto Categoria: Literatura private-rentenversicherungs.info Tamanho: ,96 KB. Ler Livro Online · Download. Acervo Digital · Livros. Download. Autor: Barreto, Lima, Título: Os Bruzundangas. Editor: Rio de Tipo: LIVRO. Idioma: Português. Direitos: Domínio. Download Os Bruzundangas - Lima Barreto O livro é um diário de viagem de um brasileiro que morou durante algum tempo nesse país. Download Completo do Livro em formato PDF. Titulo: Os Bruzundangas Lima Barreto. Download Completo do Livro em formato PDF. Titulo: Singularidades de .

Want to Read saving…. Want to Read Currently Reading Read. Other editions. Enlarge cover. Error rating book. Refresh and try again. Open Preview See a Problem?

Faça o download também: MEGACUBO PARA ANDROID TABLET BAIXAR

Details if other :. Thanks for telling us about the problem. Return to Book Page. Preview — Os Bruzundangas by Lima Barreto. Os Bruzundangas by Lima Barreto. Que país é este? É a pergunta que surge da leitura das situações absurdas e cômicas que as crônicas de Lima Barreto apresentam. A resposta se encontra em nossa própria realidade. Através dele, faz um bem-humorado retrato das mazelas do Brasil no início do sé Que país é este? Através dele, faz um bem-humorado retrato das mazelas do Brasil no início do século.

Revelam seu humor refinado e sintonia com a nossa realidade. Este é o compromisso presente em toda a obra do escritor, cuja linguagem simples foge ao preciosismo retórico. Lima Barreto é um dos maiores escritores do Pré-Modernismo brasileiro. Get A Copy. Paperback , pages.

Corrupção (18 Contos) (Ateliê Editorial)

More Details Other Editions 6. Friend Reviews. To see what your friends thought of this book, please sign up. To ask other readers questions about Os Bruzundangas , please sign up. Lists with This Book. As ruas ficam quase desertas, perdem o seu trânsito habitual de mulheres e homens atarefados; mas para compensar tal desfalque passam constantemente por elas carros, automóveis, pejados de passageiros heterogêneos.

É natural que ele encontre entre tantas damas da roda que o cerca a do seu pensamento. Tratemos, porém, da sua estréia eleitoral, como ele me contou. Fiquei perplexo. Foi tiro e queda: decidi votar no doutor Karaban.

Saí bem cedo, para almoçar qualquer cousa. Tive dó e, quando deixei o almoço, tinha o arraigado propósito de votar no indigente Kasthriotoh. Estava seriamente interessado em impedir que o pobre Kasthriotoh morresse de fome, com a mulher, filhos, sogra, cunhadas, etc.

Baixe gratuitamente livros do Lima Barreto

Estive assim cerca de duas horas, ao fim das quais alguns daqueles sujeitos horrendos se aproximaram e, fingindo que o faziam às ocultas, começaram a examinar facas, punhais, estoques, garruchas, revólveres, que traziam.

Via perfeitamente tais armas e descobri que mesmo para isso é que eles tal cousa faziam. Foi a minha desgraça, Deus dos Céus! Eis como foi a minha estréia eleitoral. Todo o mundo sabe a importância que tem esse desafio internacional e o convite ao nosso patrício representa uma alta homenagem à ciência da nossa terra e ao football nacional. Eu fiquei babado de gozo. A fama do doutor corria assim desmedidamente. Deixou em instantes de ser médico do bairro ou da esquina, como dizia Mlle.

Moças pobres sacrificavam os orçamentos domésticos para irem à consulta do doutor Adhil e muitas houve que deixavam de baixar o sapato ou o chapéu da moda para pagar o exame perfunctório do famoso doutor. O seu consultório ficava em uma rua central, ocupando todo um primeiro andar. À mesa, porém, ele sacrificava um pouco do seu ideal de opulência e gastava sem pena na carne, nas verduras, nos legumes, no peixe, nas batatas, no bacalhau que, depois do cozido, era o seu prato predileto.

Desta forma, aquela dorzita no estômago o fazia sofrer extraordinariamente. Clínico maravilhoso!

Os Bruzundangas

Maravilhoso clínico! Meditava assim, quando lhe entra pela venda adentro, o Sr. Foi quem salvou a minha mulher. Duas consultas Mais cinqüenta Ainda se o doutor fosse seu freguês Mas qual! Evitou encarar os cavalheiros e teve medo das damas Um a um, iam eles entrando para o interior do consultório; e pouco se demoravam.

Suza começou a ficar desconfiado Se o pai tivesse sabido disso Pobre pai! Cada um enriquece como pode Foi, por fim, à presença do doutor. Krat gostou do homem. Dentro de um segundo, o famoso clínico dizia com toda segurança:.

Esta é boa! E saiu furioso do consultório que merecia da cidade uma romaria semelhante à da milagrosa Lourdes, no doce país de França. Os estrangeiros, porém, logo as percebem e contam nos seus livros. Uma vergonha! Acontecia em certas ocasiões que um grupo gritava — Viva o doutor Clarindo! Às vezes, temos visto o entusiasmo exigir esse glorioso serviço Eis aí como, em linhas gerais, iria ser, conforme me disseram, a Academia Comercial da Bruzundanga.

Imaginem só o seguinte caso que prova a contento do mais exigente o que afirmo. Um defluxo, papéis atrasados, terremotos, pestes, inundações, etc. Que pensaria o supremo da Bruzundanga? Seria enfastiar o leitor querer dar detalhes das prerrogativas que usufruem as províncias. Das províncias da Bruzundanga, aquela que é tida por modelar, por exemplar, é a província do Kaphet.

Aquilo é a jóia da Bruzundanga. Pela leitura, sabia que a gente rica da província se tem na conta de aristocratas, de nobres e organizam a sua genealogia de modo que as suas casas tomem origem em certos antropófagos, como eram os primitivos habitantes da província, dos quais todos eles querem descender. Singular nobreza! Eram modestas, mas probas e honestas. Poderia tanto o dinheiro do café?

Corri à sala indicada e dei — sabem com quê? Vi os desenhos. Que cousas hediondas! Quanta insuficiência artística! Certamente do de Paris. A brutalidade do dinheiro asfixia e embrutece as inteligências. A polícia, sob este ou aquele disfarce, abafa a menor tentativa de crítica aos dominantes.

Ninguém pode contrariar as cinco ou seis famílias que governam a província, em cujo proveito, de quando em quando, se fazem umas curiosas valorizações dos seus produtos. Ai daquele que o fizer! A lei, ao que parece, caiu em desuso. Pancôme , as suas Idéias e o Amanuense. Entro na matéria.

Ninguém lhe tomava conta por isso e ele fazia do seu ministério cousa própria e sua. Uma das suas quizílias era com os feios e, sobretudo, com os bruzundanguenses de origem javanesa — cousa que equivale aqui aos nossos mulatos. Criticar esse patrimônio nacional que é o Visconde de Pancôme, por causa de ninharias! Diante dessa desculpa de patrimônio nacional, toda a gente se calava e o país ia engolindo as afrontas que o seu ministro fazia às suas leis e aos seus regulamentos.

Os bruzundanguenses do lugar sorriram diante do projeto daquele homem gordo e pesado. Recebendo esse impulso do estrangeiro, os jornais da Bruzundanga, os mais lidos e os mais obscuros, e as revistas de toda a natureza redobraram a sua habitual gritaria em casos tais.

Eles sacavam com atilamento sobre o futuro, porquanto, quando Pancôme veio a ser ministro, os encheu de propinas e fartos jantares. Mas é preciso voltar ao nosso Visconde de Pancôme. É uma tolice deles aí entram também muitos javaneses , pois tanto os de origem javanesa como os de outras raízes raciais têm dado inteligências e atividades que se equivalem.

Além daquelas medidas que citei em um dos capítulos passados, logo no início do seu ministério, tomou o visconde estas primordiais; usar pape! Na cozinha, porém, é que estava o principal das suas reformas, pois era o seu fraco a mesa farta, atulhada.

Alguns eram mesmo feios, outros tinham toques de javanês, e nenhum a beleza radiante que ele queria ver nos amanuenses. No dia seguinte o rapaz foi ter com o ministro, que ficou embasbacado diante do lindo candidato. Faça o favor. Juntou os pés, curvou docemente o busto, levantou o braço e, sempre sorrindo, cumprimentou:.

Que elegância! Que lindeza! Era preciso, porém, ver se o donzel conhecia algumas outras cousas de sociedade. Marmeleiro começou a assoviar com todo o recato que o lugar exigia — fiu, fiu, fiu Que soberbo amanuense ia ele ser! Bendita Bruzundanga que produzia daquilo! De uma hora para outra Com o tempo Mais tarde Isto aconteceu em França; mas na Bruzundanga as cousas se passam de outro modo e aquele país só tem ganho com tal proceder, como acabamos de ver.

Feito amanuense, aprendeu logo a copiar minutas e, em menos de seis anos, Sune, o tal da carta, acabou eleito, por unanimidade, membro da Academia de Letras da Bruzundanga. À venda, etc. Fazem reformas, inventam repartições, para executarem esse seu alto fim político. Eles mal conhecem a cidade. Houve um prefeito de polícia que, vindo diretamente da província das Jazidas para a sua prefeitura em Bosomsy, nada sabia da cidade, nem mesmo as ruas principais.

Certo dia cismou em percorrer, a pé, um dos mais centrais boulevards da cidade. Chegou, porém, em um dado cruzamento de rua donde, de uma estreitinha, tanto da direita como da esquerda, saíam e entravam magotes de povo.

Um motim? O prefeito, assustado, medita logo providências, quando se lembra de pedir ao urbano explicações diretas, sem ir pelos canais competentes:. Chegou ao arquivo. Senado é uma cousa e Câmara é outra. Como Senado da Câmara? Que embrulho? Cada um se governa por si Mande o que é do Senado, para o Senado; e o que é da Câmara, para a Câmara. Via eu todos os dias passar na rua principal de Bosomsy um sujeito cheio de imponência e ademanes fidalgos; perguntei a um amigo:.

BAIXAR BRUZUNDANGAS O OS LIVRO

Sei, porém, que vive muito bem e é o marido da Klarindhah. Por aí os pratos estridulavam, o bombo roncava e a orquestra iniciava alguns compassos de tango, ao som dos quais a dama bamboleava as ancas. As palmas choviam e, quase sempre, a cantora repetia a maravilha, que tanto fazia rir a platéia.

Risos, palmas e o portento era repetido. A que fica reduzida a tal história do equilíbrio dos líquidos em vasos comunicantes?

Pobre Ganot, quer o grande, quer o pequeno! Todas estas e muitas outras lindezas semelhantes vieram publicadas no D. No Gabinete do Ministro. Olhou o rapaz e disse:. O essencial, o senhor sabe. E foi nomeado, para bem documentar, aos olhos dos estranhos, a beleza dos homens da Bruzundanga. As Letras na Bruzundanga. Coelho Neto. Em todos os tempos os homens de letras, maus ou bons, geniais ou medíocres, ricos ou pobres, gloriosos ou ratés, sempre se julgaram inspirados pelos deuses e confabulando intimamente com eles.

A vida dos escritores, poetas, comediógrafos, romancistas, etc. Todos eles se deixariam morrer à fome ou de miséria, antes de transformar a sua Musa em passatempo de poderosos e ricaços.

O poeta palaciano tinha que puxar a mitologia do tempo, escrever uma ode, um epinício, um ditirambo ou mesmo um simples soneto, conforme fosse a natureza da festa. Mesmo para as mortes havia a elegia com todas as suas regras marcadas na retórica e poética daqueles tempos de reis, marqueses e duques. Esses fidalgos mesmo aceitavam de bom grado o orgulho profissional dos seus poetas attachés. Alguns destes mereciam até homenagens excepcionais, como um tal Alain Chartier, poeta francês do século XV.

Na Bruzundanga, até bem pouco, era assim também. A sua nobreza territorial e agrícola estimava muito, a seu jeito, os homens de inteligência, sobremodo os poetas, aos quais ela perdoava todos os vícios e defeitos. Tinha tudo Aos poucos, porém, os parvenus viram bem que era preciso pôr um pouco de beleza e de sonho nas suas existências de mascates broncos e ferozes saqueadores legais.

Pagavam bem e pontualmente, como hoje se pagam as missas de sétimo dia aos sacerdotes que oficiam nelas, ou em outras cerimônias menos tristes. Essa gente sublime daquele país é quase sempre mais ou menos javanesa e, quase nunca, sabe sânscrito. Escrevo em dia oportuno. Nestas unidades, o acesso ao posto imediato é determinado por um processo rigorosamente científico, de um rigor verdadeiramente astronômico.

Suponhamos um sargento que quer ser alferes. A dosagem que indiquei, deve variar quando se tratar de polícias, guardas nacionais e oficiais de fazenda. Vamos ver em que consiste.

O mais relevante conhecimento exigido, para as promoções de acordo com esse processo empírico, é o de uma perfeita sabedoria nas marcas de papel de ofícios, de grampos, colchetes e alfinetes, para papéis.

É o melhor. Eis aí. Que ardor profissional pode ter um carpinteiro que tem cinqüenta anos de idade e trabalha no ofício desde os dezesseis?

Um, aparente meramente, e de origem feminina; o segundo substancial e rigorosamente científico. O primeiro método se baseia nas pinturas, pomadas e massagens. A guerra em si mesma nada tem de teatral; só acham essa cousa nela os pintores de batalhas que recebem encomendas dos governos, e os literatos da moda. Resta o método científico que se estriba na psicologia experimental e é corrigido pela sociologia transcendente.

A atividade espiritual daquelas terras se limita a uns doutorados de sabedoria equívoca; entretanto, alguns espíritos daquele Fonkim se esforçavam por dar um verniz espiritual à sociedade da terra.

Escreviam livros e folhetos, revistas e revistecas, de modo que, artificialmente, o país tinha uma certa atividade espiritual. O escritor airmava que doutores eram ignorantes como um bororó A birra com o bacharel transcendia para sua impaciência para com a Academia Brasileira de Letras, que recebia doutores, e que se fechava para escritores, como ele mesmo.

Invocava que os acadêmicos se rendiam a uma ditadura, que lhe metia medo e, por isso, saia-lhe na frente, antes que fosse fuzilado Em crônica publicada em 31 de dezembro de Lima Barreto fora muito incisivo, no sentido de que seria [ Nunca o amei, jamais o prezei. Aos olhos de todos, é um ato digno, porque, mais do que o amor, a amizade se impõe. Você quis impedir que nascesse mais um homem para aborrecer-se com a vida!

De que vale a lei? Captura-se a realidade, satiriza-se a política, exprime-se o que realmente se pensa, sem muitos rodeios. Recusa-se a moral, a política e o direito vigentes, de modo sardônico. Propõe-se mundo novo a partir de escombros do mundo em que vivemos.

Qualiica-se atrevimento inusitado, disfarçado sob prosa iccional. O Antifetichismo Institucional em Lima Barreto baixos. Por im, em ambiente nacional, colabora-se no resgate do pensamento de Lima Barreto, destemido escritor que denunciou injustiças sempre que as viu.

Os Bruzundangas - Lima Barreto

E as via com muita frequência. Montesquieu nutria profundo respeito pelas instituições inglesas, especialmente pela liberdade civil que se gozava na Inglaterra. As Cartas Persas foram publicadas em O enredo é simples. Robert A. Ferguson, Law and Letters in American Culture. O rei foi apresentado de modo zombeteiro, desaiando-se imagem que soberanos franceses insistiam em difundir, especialmente, no caso de Luís XIV. Viram-no empreender ou sustentar grandes guerras sem outros fundos que a venda de títulos honoríicos, e por um prodígio do orgulho humano, eram pagos os seus exércitos, fortiicadas as suas praças e equipadas as suas esquadras.

O anticlericalismo é traço característico no pensamento iluminista. Dito de autoria incerta fazia que se pensasse que a felicidade reinaria na face Montesquieu, cit. Fazia-se temer outrora até dos príncipes, pois os depunha com tanta facilidade, como os nossos magníicos sultões depõem os reis de Irimeta e Geórgia. Mas agora ninguém o teme. Por isso posso assegurar-te que nunca houve reino em que tenha havido tantas guerras civis como o de Cristo Na Europa se acreditava que os homens seríamos maus por natureza Cada um deles dedica um soberano desprezo aos outros dois; e assim, tal que devera ser desprezado por ser um parvo, muitas vezes só o é por ser togado.

Oh, que desenxabida coisa é o louvor que recai no lugar donde parte! Prossigo com o irlandês Jonathan Swift, que publicou Viagens de Gulliver em Swift exerceu o ministério religioso como pastor protestante. Ao im da vida, teria sofrido de mal de Alzheimer. Na primeira delas Gulliver contava com 39 anos. Ele se vê enlaçado por pequeníssimas cordas. Os lilliputianos, homens em miniatura, atacam o herói misantropo de Swift. Na medida em que ganhava a coniança daquelas estranhíssimas e pequenas iguras, Gulliver percebeu costumes estranhos.

LIVRO BRUZUNDANGAS O BAIXAR OS

Políticos buscavam apoio popular e para tal pulavam cordas. Gulliver mostrou-se iel ao imperador, a quem jurou idelidade. Crescia seu bom relacionamento com os lilliputianos. Ao longo da narrativa Gulliver observava o modo de vida de Lilliput.

Percebia que temas constitucionais eram discutidos com virulência. Havia dois grupos hermenêuticos em disputa: os tramecksan odiavam os slamescksan. A antinomia evidencia paródia aos whigs e tories ingleses, isto é, liberais e conservadores.

Os ministros do imperador usavam saltos baixos. Discutia-se muito também a propósito de como deveriam ser quebrados os ovos. Costumes ancestrais exigiam que se quebrassem os ovos por baixo, pela parte mais larga. Imperadores mais recentes desaiavam as tradições e insistiam que os ovos deveriam ser quebrados pela parte menor, isto é, por cima.

Ao que consta, havia gente que preferia morrer a quebrar os ovos por cima Se acusados conseguissem provar inocência, acusadores seriam condenados à morte. Crimes contra o Estado eram punidos de modo extremamente severo. Fraudes eram punidas mais draconianamente do que roubos.

O imperador de Blefescu apoiava o grupo que defendia a quebra dos ovos pela parte de baixo. Os habitantes de Blefescu eram ameaça recorrente; acreditava-se que invadiriam Lilliput a qualquer momento. Um navio mercante inglês o salvou. Gulliver retornou para a Inglaterra. Encerrou-se a primeira etapa da inusitada viagem. Descobriu que estava numa terra de gigantes, Brobdingnag. Reduzido a boneco de brinquedo pela ilha de um fazendeiro arrogante, Gulliver viu-se atacado por ratos gigantes; defendeu-se com a própria espada.

O fazendeiro exibiu Gulliver por todo o país, que se impressionou com o pequeno tamanho do médico inglês. A rainha comprou Gulliver e fez dele brinquedinho particular. Gulliver narrou orgulhosamente o modo de vida europeu, com especial deferência às ilhas inglesas e à colônia na América. Na terceira das viagens, após fugir de piratas, Gulliver foi salvo pelos habitantes de Laputa. Tratava-se de ilha imensa que parecia lutuar no céu.

Especulavam e ilosofavam o tempo todo. Foi levado para Houyhnhumland , onde conheceu incríveis iguras hirsutas, os yahoos. Os yahoos pareciam-se muito com seres humanos. Quando descobriram que as roupas de Gulliver poderiam ser tiradas, e quando o viram totalmente nu, concluíram que o médico inglês só poderia ser um deles Gulliver começou a aprender a língua de Houyhnhumland. Ambiguidades e discussões sutis eram inexistentes. Gulliver encontrava-se em perfeita harmonia.

Embora decidido a nunca mais voltar para a Europa, Gulliver foi descoberto por alguns navegadores portugueses que o conduziram à Península Ibérica.

Desgostoso com os homens, saudoso dos yahoos, Gulliver preferia a sociedade dos cavalos. O bacharelismo oco ganhou foros de nobreza. Lima Barreto motejou dos doutores brasileiros. Muitos excertos de Lima Barreto comprovam a assertiva. Tudo muito parecido. O estilo de ensino foi escrutinado. O modelo religioso foi objeto de engraçada passagem. O que se tem, em resumo, é quadro crítico e inteligente de nossas instituições. Muito atual. Criticava literatura que pouco dizia, que pouco tinha a dizer e que se preocupava exclusivamente com métricas.

A literatura de Bruzundanga foi apontada como literatura estrangeira.

OS BRUZUNDANGAS BAIXAR O LIVRO

Lima Barreto introduziu crítica à literatura convencional em gancho muito bem engendrado: Queria evitar, mas me vejo obrigado a falar na literatura da Bruzundanga. Constatando preconceito linguístico típico de nossa cultura, Lima Barreto identiicava língua falada, outra escrita por alguns bons escritores , bem como uma terceira, muito diferente da usual, usada pelos escritores formalistas.

Trata-se de língua incompreensível. E quanto mais difícil, mais se valorizava o escritor. José Veríssimo e Duque Estrada eram os críticos que ditavam a moda formal. Bom escritor seria aquele que escrevia formalmente. O escritor convencional, parnasiano e simbolista foi caricaturado por Lima Barreto: [ Usavam palavrório rebarbativo, expressões perdidas no tempo.

E as mocinhas ricas os queriam como maridos É que, ao que consta, sempre fora preterido pelas mocinhas casadoiras, que o desprezavam, porque pobre e mulato. Os samoiedas [ Lima Barreto odiava parnasianos que viviam fazendo odes a vasos gregos. Para Lima Barreto, antecedendo-se a crítica da segunda metade do século XX, a Grécia serve para tudo, especialmente na Lima Barreto, cit.

O Antifetichismo Institucional em Lima Barreto ou por seus íntimos. Eis como Lima Barreto deinia a economia de seu Brasil- Bruzundanga: O país vivia de expedientes, isto é, de cinquenta em cinquenta anos, descobriase nele um produto que icava sendo a sua riqueza.

Lima Barreto procurava entender como o modelo iscal limitava o crescimento econômico, abafando suposta galinha dos ovos de ouro. Chamavase o deputado Felixhimino Ben Karpatoso. E porque o tesouro viveria em constante debilidade, Lima Barreto, cit. Entrava em cena o Doutor Karpatoso, que: [ Reporto-me, especialmente, ao especialista venezuelano que o livro menciona.

O ilustre inancista substancializava todos os demais expertos brasileiros: A fama do doutor Karpatoso subia e a sua elegância também. Fez uma viagem à Europa, para estudar o mecanismo inanceiro dos países do Velho Mundo. Karpatoso seriam assombrosos. Calculando tudo, ele obtinha trinta mil contos Karpatoso enfrentou deputados que se insurgiam. Os preços dos transportes seriam aumentados, o que qualiicaria benefício.

Editavam livros de propaganda. Eram distribuídos. Ninguém os baixaria. Eram escandalosamente mentirosos. Prenhes de otimismo encomendado. Do ponto de vista social, em Bruzundanga havia tipo especial de nobreza, formada pelos doutores.

É um engano. O povo mesmo aceita esse estado de cousas e tem um respeito religioso pela sua nobreza de doutores. Entretanto, o tal pergaminho é de um medíocre papel de Holanda.

Lima Barreto também zombava de festas de formaturas, dispendiosas e demoradas, vedadas aos desprovidos de recursos. Exames preliminares eram ainda mais caros. Temos, agora, que ver no tocante às leis. Lima Barreto percebia reserva de mercado para bacharéis; é que [ Sabem os que ele diminuiu?

Os impostos sobre os médicos e advogados E como nas demais horas estudavam, estariam livres da vida na caserna. Invocando a nobreza chinesa, e seus mandarins, com a qual comparava a nobreza brasileira, em passo que muito lembra Max Weber, Lima Barreto identiicou as pedras que ornavam os anéis dos doutores.

Médicos usariam esmeralda. Advogados, o rubi. Engenheiros, a saira. Engenheiros militares, a turquesa. Engenheiros geógrafos icaram também com a saira, porém poderiam usar certos sinais dos arcos dos anéis. Os dentistas, com a granada. Quem sabe a advertência de Lima Barreto possa valer para o presente ensaio, rico em citações e pobre em idéias originais. Voltando- se para Bruzundanga, o país era idílico.

Mas as imagens muito realistas. Lima Barreto imaginou que [ O povo vivia acusando os políticos. Vive sugada; esfomeada, maltrapilha, macilenta, amarela [ Lima Barreto adiantava-se a Monteiro Lobato. E ainda, [ O café é tido como uma das maiores riquezas do país; entretanto é uma das maiores pobrezas. Sabem por quê? Eu me explico. Todo habitante de Bruzundanga teria como projeto viver fora do país, que era um país de exílio.

Em um jantar de luxo, houve uma disputa entre dois convidados sobre uma qualidade de peixe que viera à mesa. Levou amostras para casa. É hoje considerado como um dos luzeiros da diplomacia da Bruzundanga Multiplicavam-se as legações. Garantiam-se postos no exterior para todos aqueles que fossem ligados à nobreza.

Empossado no ministério, a primeira coisa que fez foi acabar com as leis e regulamentos que governavam o seu departamento. A lei era ele. Este senhor era de fato um homem inteligente, mesmo de talento; mas lhe faltava o senso do tempo e o sentimento do seu país. As suas idéias sobre história eram as mais estreitas possíveis: datas, fatos estes mesmos políticos.

Entretanto, forçoso é dizer que Pancome desconhecia as ânsias, as diiculdades, as qualidades e defeitos de seu povo. Pôslhes umas longas sobrecasacas com botões dourados. A primeira reforma. Tendo conseguido adjudicar à Bruzundanga vastos territórios, graças à leitura atenta de modestos autores esquecidos, a sua inluência sobre o ânimo do Mandachuva, era imensa. Convenceuo que devia modiicar radicalmente o aspecto da capital.

Era preciso, mas devia ser feito lentamente. Havia mesmo na coisa muito de cenograia Mas, dentre todos os seus atos, aquele que fez propriamente escola, foi a Lima Barreto, cit. Entro na matéria. A sua vaidade e certas quizílias faziamno desobedecêlas a todo o instante. Ninguém lhe tomava contas por isso e ele fazia do seu ministério coisa própria e sua. Nomeava, demitia, gastava as verbas como entendia, espalhando dinheiro por todos os tomalarguras que lhe caíam em graça, ou lhe escreviam panegíricos hiperbólicos.

Uma das suas quizílias era com os feios e, sobretudo, com os bruzundanguenses de origem javanesa - cousa que equivale aqui aos nossos mulatos Na cozinha, porém, é que estava o principal das suas reformas, pois era o seu fraco a mesa farta, atulhada. Contamse até engraçadas anedotas.

Reuniuse, pois, a Constituinte com toda a solenidade. Esses padrões O imperador pode voltar e é o diabo À justiça se chamava de Chicana. O Antifetichismo Institucional em Lima Barreto sugerindo os remédios eicazes e as providências adequadas, para tal ou qual caso Relaciona-se ética e verdade.

Revela-se, mais uma vez, que Lima Barreto era escritor comprometido com relações humanas marcadas pela transparência. Lima Barreto faleceu com pouco mais de 40 anos.